Intocáveis, Clube dos cinco, Out of Furnace, Bernie, Less than zero, Guardiões da Galáxia – Rolê Cinematográfico

RolêIntouch

Yeah, baby, yeah… semana boa de muitos filmes bons. Na lista, inclusive, uma das fitas que mais gostei de assistir esse ano. Continue lendo pra sacar o barato.

Intocáveis [2011] Olivier Nakache & Éric Toledano
Bom… um filme superstimado, achei. Não que seja ruim. Não é. Superestimado apenas. Confesso que tive uma resistência para assistir Intocáveis por muito tempo, por que algumas pessoas próximas de quem não sou fã – vizinhos e conhecidos – me indicaram esse filme fortemente e sempre que nos víamos na fila do cinema ou indo até a padaria, me perguntavam: “e aí? já viu Intocáveis?”. Porra, que chatura. Enfim, essa fórmula já está caduca e me enche o saco. Nesse caso funciona por conta das atuações dos protagonistas François Cluzet e Omar Sy que estão muito bem. Quase não recomendo de raiva só para não dar continuidade na corrente, mas você não vai morrer se assistir.
~ trailer youtube/intouchables ~

~ ~ ~

Rolê5

Clube dos Cinco [1985] John Hughes
Ainda na pilha dos últimos dias de assistir as coisas de Molly Ringwald nos anos 80, revisitei o Clube dos Cinco. Na América esse filme foi sensação na época, estourou todo o elenco e principalmente o diretor John Hughes. Não acho o filme sensacional, por que comunica mais com a cultura dos nortenhos do que com a nossa. O rebelde, o esportista, a esquisita, a patricinha e o nerd. Tá bom vai.. até que comunica. Já tinha assistido isso quando era moleque nos anos 80, mas a parada não bateu em mim. Talvez minhas irmãs mais velhas tenham curtido mais a fita.
~ trailer youtube/ClubedosCinco ~

~ ~ ~

RolêFurnace

Out of Furnace [2013] Scott Cooper
CA-RA-LHOW! Me acertou em cheio. Esse é o segundo longa de Cooper, sendo o primeiro Crazy Heart. Tá tirando? Cara, a abertura do filme é foda. Um show do por-vezes-subestimado Woody Harrelson. Ele cria um personagem que mesmo parado, sem dizer uma palavra consegue ser a figura mais ameaçadora do ambiente. Isso ele faz bem demais. Sobre o roteiro, nada de novo aqui: primogênito sai da prisão e quer acertar sua vida. Caçula entra numa roubada com o dono da boca da area. Irmão mais velho entra na parada para resolver a bronca. O que me pegou é a vibe, fotografia, ritmo e atuação do filme, que lembra bem outro diretor que gosto pra caramba que segue a mesma linha: Andrew Dominik – principalmente em O Homem da Máfia. Invejinha pacarai. Recomendo pacarai.
~  trailer youtube/OutOfFurnace ~

~ ~ ~

RolêBernie

Bernie [2011] Richard Linklater
Ah, cara! Tava com esse filme empoeirando aqui faz tempo. Já tentei assistir outras 3 vezes, mas sempre tinha alguma coisa que me interessava mais na frente. Podia ter deixado esse pra lá. Jack Black tá bem. Não tá Jack Black demais, sabe? O filme é um drama, mas ele traz um certo humor pra fita. Não o suficiente para tirar gargalhas, nem é esse o propósito, mas o suficiente para que simpatizemos com o personagem. Acho que uma leitura sobre o cara de verdade que motivou o filme já vale a curiosidade. Deixa esse filme passar batido.
~ site oficial & trailer Bernie ~

~ ~ ~

RolêLess

Less Than Zero [1987] Marek Kanievska
Saindo da vibe de Ringwald (última vez que falo isso, de boa) e entrando na vibe de Downey Jr. Esse é um dos principais filmes que realmente impulsionou o cara como um grande ator. E realmente, ele arrebenta aqui num papel mais sério. Novamente, um filme que não comunica tanto em terras brasilis. Mulecada indecisa com o que fazer depois do colégio, se vai pra faculdade, cursar o que e ainda curtindo festas, sexo e uns raios. Ok, até que comunica. O estilão pode parecer um pouco datado num primeiro momento, mas a mensagem é bem clara quando observada mais de perto. Tudo é retratado com glamour, modeletes cheiradoras, clipes da MTV old school, mas tudo faz sentido.
~ trailer youtube/LessThanZero ~

~ ~ ~

RolêGalaxy

Guardiões da Galáxia [2014] James Gunn
Felizão aqui com o caminho tomado pela Marvel com seus filmes. Tá tudo encaixando num universo coeso de personagens quer poderiam – com alguma liberdade poética, claro – existir em nossa realidade, mesmo quando apresentam essas histórias mais fantasiosas como Thor, por exemplo, que possuem “magia”. A saída de mestre foi apropriarem-se do conceito mágico como uma tecnologia avançada demais que ainda desconhecemos. Daí, cabe tudo, amigo. E em Guardiões da Galáxia essa liberdade é expandida com uma trupe de anti-heróis que não se leva a sério, que permite piadas de si mesma e de quebra uma caralhada de easter eggs para os fan boys. Os efeitos especiais são fodas, o ritmo também. Tem humor, tem ação e personagens muito bem construídos. Todos os cinco são muito interessantes. E a cereja em cima do bolo é fantástica trilha sonora.

~ site oficial & trailer Marvel/Guardians ~

 E aí, o que você acha? E o que você assistiu essa semana? Seguimos, B.

Comments

comments

Add a comment